Loading...
POLITICA DE COOKIES
Usamos cookies para que a sua experiência no nosso website seja agradável.
Ao usar este website, está a concordar com a nossa política de utilização de cookies. Boa navegação!
COMPREENDO E ACEITO

Lotus Elise S

Lotus Elise S

Lotus Elise S

  • Ano: 2006
  • Comercializado: 2006-2010 (versão ensaiada)
  • Categoria: desportivo/descapotável
  • Kms: 47.950
  • IUC: €309,04
  • Valor de mercado usado: 28.000 / 32.000 euros

Ficha técnica

  • Portas: 2
  • Lugares:2
  • Combustível: Gasolina
  • Posição motor: Central traseiro, transversal
  • Tração: traseira
  • Cilindrada: 1794cc
  • Cilindros: L4 (4 em linha)
  • Potência (kw): 100
  • Potência(cv): 136 / 6200 rpm
  • Binário (Nm): 172 / 4200 rpm
  • Emissão CO2: 196 g/Km
  • Caixa de velocidades: Manual, 5 velocidades
  • Distância entre eixos (mm): 2300
  • Comprimento (mm): 3785
  • Largura (mm): 1850
  • Altura (mm): 1117
  • Peso (tara): 950kg
  • Capacidade depósito combustível (l): 44
  • Arranque (seg.)  0-100 km/h: 6,1
  • Velocidade máxima (km/h): 205
  • Consumo médio (l/100km): 8,3
  • Pneus: Yokohama Advan AD07 - 175/55 R16 frente - 225/45 R17 atrás

 

 

Texto e fotografias: Pedro Charais

Texto e fotografias: Pedro Charais


 
Apreciação Geral
 

O Lotus Elise, cuja primeira geração foi lançada em 1996, é um excelente exemplo de um carro desportivo de baixo peso e elevadas prestações.

O Lotus Elise é um puro desportivo. O seu comportamento dinâmico aproxima-se ao de um carro de competição. O Elise é construído com base num chassis rígido em alumínio, ou seja, não dispõe de uma carroceria autoportante como a grande maioria dos automóveis contemporâneos. Sobre o chassis, são aplicados todos os painéis da carroceria, que no caso do Elise são em plástico. Este conceito de construção é normalmente aplicado a automóveis fabricados exclusivamente para competição, e tem como principais atributos a elevada rigidez estrutural e o baixo peso. O Lotus é fiel a este conceito, e cumpre-o na perfeição.


Curiosidade: O nome do Lotus Elise, foi escolhido pelo então presidente da Lotus Cars, Romano Artioli (sim, de nacionalidade italiana), em homenagem à sua neta recém-nascida, de nome Elise.


Se falasse, o que diria o Lotus Elise ao seu condutor? “Leva-me para a estrada, de preferência se for sinuosa. Não gosto muito de autoestradas, e fico muito quente se estiver sempre a parar e a arrancar, no trânsito da cidade. Adoro ir para a pista, onde poderás tirar todo o partido da minha afinação desportiva, do meu baixo peso, dos meus excelentes travões, e sem limites de velocidade. Eu sou um puro desportivo!”


 
Condução
 

Este Elise S, equipado com o motor Toyota da série 1ZZ, de 16 válvulas, com distribuição comandada por corrente (não necessita de ser substituída) proporciona uma potência de 136 cv, que aliado ao baixo peso (apenas 950kg), permite que seja possível ir dos 0 aos 100 kms/h em cerca de 6 segundos, o que não deixa de ser absolutamente notável para um pequeno motor de 4 cilindros e 1.8 litros de cilindrada.

A afinação desportiva das suspensões, permite uma condução divertida e desportiva, e também segura em piso seco. Em piso molhado, o seu baixo peso, a posição do central traseira do motor e a tração traseira, exigem alguns cuidados adicionais, para não inverter o sentido da marcha de forma inadvertida. Os bancos proporcionam um conforto superior ao esperado, permitindo uma condução confortável, em estradas e ruas com bom piso.

A caixa de 5 velocidades é extremamente precisa e permite passagens de caixa muito rápidas sem perda de rotação, como convém a um carro desportivo.

A capacidade de travagem do Lotus Elise é fenomenal. Tal deve-se à eficiência dos travões de disco, especialmente os da frente da APRacing com quatro pistões e calços desportivos, e naturalmente ao seu baixo peso. O ABS, fruto da sua afinação desportiva, apenas entra em ação em travagens muito extremas. Em piso molhado o ABS tem um comportamento semelhante ao dos “carros normais”.

Em percursos de auto estrada (fizemos cerca de 80 kms), o ruído do vento torna-se incomodativo, e a comunicação entre condutor e pendura é virtualmente impossível, em velocidades mais elevadas. O modelo que ensaiámos está equipado com uma capota rígida com abertura tipo “gull wing”. Esta capota provoca mais ruídos do que a capota original em lona, ruídos estruturais e de entradas de ar um pouco por todo o lado. Não sendo uma capota original Lotus (não foi aprovada pelo fabricante), não estranhamos que tal pudesse acontecer. Quando se retira a capota, que pode ser acondicionada na bagageira (fantástico!), alguns dos ruídos desaparecem, e mesmo o ruído do vento torna-se mais agradável, se a velocidade for moderada. Sem a capota o Lotus transforma-se num agradável “targa”.

Em suma, condução desportiva quanto baste, conforto acima das expectativas, mas um pouco ruidoso principalmente em velocidades acima dos 90 kms/h, em autoestrada.


 
Interior
 

O interior deste Lotus Elise é simplista, mas deliciosamente desportivo. Só tem o essencial, e por essencial entenda-se volante, manípulos, instrumentos básicos de um carro desportivo, e alumínio por todo o lado. O conta rotações de dimensão generosa, dispõe de uma luz avisadora de mudança de velocidade, que acende alguns instantes antes de entrar em ação o limitador de rotações. O tablier e os instrumentos são um puro regalo para a vista. Os assentos são confortáveis e com bom apoio lateral.  O banco do condutor, é regulável longitudinalmente, e ficamos por aqui. Nada de esquisitices de regulação em altura ou lombar.

O volante desportivo faz adivinhar o que virá após o arranque, e não é regulável em altura nem em profundidade. A abertura dos vidros é manual, o que lhe dá um charme inigualável, pois já não se faz disto. Como o habitáculo é relativamente estreito, consegue-se abrir o vidro do lado direito, esticando apenas o braço, mas convém fazer esta manobra apenas como carro parado. O Elise está equipado com ar condicionado, que não é algo acessório, mas antes uma necessidade, pois com o radiador à frente e o motor muito perto das costas, o Elise num dia de verão transforma-se numa sauna rolante, se o ar condicionado não estiver ligado.

Assentos desportivos mas comfortáveis

Assentos desportivos mas comfortáveis

Mais desportivo é dificil

Mais desportivo é dificil

Interior minimalista

Interior minimalista

Alavanca de velocidades em alumínio

Alavanca de velocidades em alumínio

Conta e rotações e velocimetro com fundo branco

Conta e rotações e velocimetro com fundo branco

Comandos das luzes

Comandos das luzes


 
Espaço e Versatilidade
 

Se procura um carro versátil, esqueça o Lotus. O Elise é um puro desportivo de dois lugares, e, portanto, não conseguirá transportar a sua bicicleta, ou levar o cão a passear numa manhã de domingo. Bem, pode levar o cão consigo se for a pé. Pode por outro lado levar o gato, se ele não se assustar com o ruído do motor. Apesar de tudo, conseguirá acomodar na bagageira uma mala de cabine, ou dois “soft bags”. Não levar o Lotus para passar um fim de semana a dois (ou a sós), porque a bagageira é pequena, é uma desculpa sem fundamento. A bagageira do Elise, situa-se junto ao compartimento do motor e, portanto, não é adequada para transportar bebidas frescas.

No habitáculo o espaço é suficiente para os dois ocupantes, mesmo que de grande estatura, sendo no entanto, de esperar alguns choques entre cotovelos. No lugar do condutor, existe um muito útil pousa pé à esquerda do pedal de embraiagem (todos os pedais são em alumínio). A posição de condução é extremamente baixa, e não é fácil entrar e sair do habitáculo, mas depois de o fazermos algumas vezes, lá conseguimos apanhar o jeito, não sem antes ter batido com a cabeça na capota rígida também algumas vezes, até descobrir que a mesma depois de aberta mantém-se nessa posição, graças a dois pequenos amortecedores. Um luxo!

Em conclusão, o Lotus Elise não é versátil, mas considerando as suas características puramente desportivas, dispõe de um espaço muito razoável para os dois ocupantes, e a bagageira é maior do que a expectativa.

Vidros de abertura manual

Vidros de abertura manual

Bagageira junto ao compartimento do motor

Bagageira junto ao compartimento do motor

Motor Toyota 1ZZ, 136cv

Motor Toyota 1ZZ, 136cv

Capota rigida de abertura vertical

Capota rigida de abertura vertical

Chassis em alumínio

Chassis em alumínio

Vê-se logo que é um Lotus

Vê-se logo que é um Lotus

 


Estado da viatura: O Lotus Elise que ensaiamos encontra-se em bom estado geral. Este Lotus foi produzido em 2006, e, portanto, tem 12 anos de idade, mas apenas 47K kms. A pintura apresenta alguns danos provocados pela projeção de pequenas pedras, com marcas na parte da frente, e nas embaladeiras dos dois lados. O interior mantém a sua integridade em termos gerais, mas alguns plásticos encontram-se com fendas nas zonas de aperto dos parafusos. Como já foi referido, o carro tem muitos ruídos parasitas no habitáculo, sendo que na sua maioria são devidos à capota “gull wing”. A mecânica, incluindo o motor, aparenta estar em perfeito estado. Pneus e jantes em também em perfeito estado.

Classificação: 7/10

Lindo...

Lindo...

Sem comentários...